Quero receber
o LordCão News

Blog Vida de Cão - Veja Rio

 

LordCão News - Artigos interessantes

voltar

O cachorro e o verão

Por Claudia Pizzolatto


Chega o verão e lá vem aquelo monte de "preocupações" típicas da época: passar mais tempo ao ar livre, caminhar mais, fazer ginástica, perder gordurinhas, comer comidas mais leves e, porque não, férias e viagens. Para aqueles que são possuídos por um ou mais cães, estas mudanças de rotina sempre envolvem os amigos peludos de uma maneira ou de outra. Tal como nós, ou melhor ainda, tal como crianças pequenas, os cachorros também precisam de cuidados extras no verão. Algumas coisas parecem óbvias demais, mas outras a gente nem sempre está atento. E é pensando no verão e nos cachorros que estamos lançando o segundo Lord Cão News.

Leia com atenção ou imprima a lista abaixo e verifique se cada uns dos pontos estão sendo observados para a boa saúde, segurança e felicidade do seu cão:

ÁGUA E COMIDA
Vasilha cheia de água fresca. Nesta época do ano é importante ter certeza de que seu cachorro tem bastante água e renovar sempre para que ela esteja fresquinha. Se você vai passar o dia todo fora coloque mais de uma vasilha com água espalhada pela casa e se o seu cachorro gosta de virar a água toda no chão para deitar em cima e se refrescar, saiba que existem no mercado pratinhos especiais, que pesam pra caramba e são muito mais difíceis de serem virados. Se o seu cachorro fica do lado de fora da casa, certifique-se de que o prato de água está sempre na sombra. Lembre-se no verão o sol percorre uma trajetória diferente da do inverno.

Cuidado extra com a ração, pois com a temperatura ambiente muito alta elas se estragam muito mais rapidamente. Para cachorros que são alimentados com comida de panela ou de lata é preciso que a comida esteja bem refrigerada enquanto não estiver sendo servida. Se o seu cachorro só come ração seca verifique se ela está guardada num lugar fresco, seco e ventilado. Não deixe a comida no prato o dia todo. Trinta minutos é tempo mais do que suficiente para que seu cachorro possa comer com calma. Depois deste período de tempo retire a comida que sobrou. Se for comida de panela ou de lata não misture com o resto que estava na geladeira. Se for ração seca cheque primeiro para ver se a ração restante não esta úmida ou babada (atenção donos de Rottweilers, Boxers, Bulldogs e outros babões). Se estiver é melhor jogar fora, pois ração molhada pode fermentar e deixar o seu cachorro doente.

Se você tem uma daquelas raças grandes ou gigantes (Dogue Alemão, Rottweiler, Filas) cheque com o seu veterinário a conveniência de mudar o hábito alimentar do seu cachorro, diminuindo a quantidade de comida a cada porção e aumentando o número de vezes que o cachorro deve ser alimentado durante o dia. O objetivo é prevenir que o cão coma muito de uma única vez, o que pode causar torção gástrica em cachorros de grande porte (torção gástrica pode ser fatal). Pelo mesmo motivo não se deve deixar que o cachorro beba muita água de uma vez só.

Não mude a dieta do seu cachorro sem conhecimento prévio do seu veterinário, nem fique variando a ração todo o tempo. Seu cachorro precisa de um tempo para se ajustar a cada novo alimento que você o oferece. Se for preciso mudar de ração, vá mudando aos poucos. Misture só um pouquinho da ração nova à antiga e vá mudando as proporções até que no final de 7 dias você já esteja dando apenas a ração nova. Isso evita que o seu cachorro tenha diarréias ou prisão de ventre.

EM CASA
Se você mora em casa preste atenção se o seu cachorro tem uma área bem abrigada do sol e das chuvas de verão para descansar em todas as horas do dias. Se você mora num apartamento e costuma trancar o seu cachorro quando precisa sair procure deixa-lo na cozinha ou área de serviço onde ele pode ficar bem abrigado e ao mesmo tempo ter ventilação suficiente. Evite trancar o seu cachorro em banheiros, quartos de empregada e varandas, especialmente se elas recebem o sol da tarde.

Piscinas deveriam receber atenção extra em todos os dias do ano, mas no verão é ainda mais perigoso. Crianças entram e saem da piscina o tempo todo e podem deixar portões abertos, cães resolvem dar um mergulhinho só para refrescar, ou para brincar com as crianças. Se o seu cachorro não foi acostumado desde pequenininho a entrar e PRINCIPALMENTE A SAIR da piscina sozinho, as chances de um acidente são grandes. Poucos cães conseguem sair de uma piscina pelas escadas verticais. A grande maioria morre afogado por pura exaustão. Pense no seu cachorro como uma criança pequena e nunca permita que ele fique perto da piscina sem supervisão. Cuidado também com crianças e cachorros grandes brincado sozinhos numa piscina, especialmente se a piscina for funda. Um cachorro pode entrar em pânico e ao tentar se apoiar numa criança para sair da água pode acabar causando o afogamento dos pequenos. Além disso arranhões no rosto e corpo são comuns de acontecer. Não deixe crianças pequenas ou cachorros perto da piscina sem supervisão.

Para que leva o peludo para fazer as necessidades na rua, ou simplesmente tem o hábito de passear todos os dias, procure fazer as caminhadas mais longas só no iniciozinho da manhã ou no finalzinho da tarde. Na hora do almoço deixe-o apenas fazer as necessidades e volte para casa.

PASSEIOS, PRAIAS, CAMPOS
As vacinas estão em dia?

Carregue sempre água fresca e filtrada para o seu cão.

Quando for à praia não esqueça de levar uma barraca de sol extra só para o cachorro se ele for grande.

Se você não mora no litoral mas pretende passar as férias com o seu cachorro na praia, converse antes com o seu veterinário para saber da necessidade de iniciar uma medicação preventiva contra a filária, ou verme do coração. Aproveite e peça orientação especial se o seu cachorro tem pelo branco (muito mais sujeitos a queimadura do sol). Pergunte sobre a possibilidade de usar algum protetor solar, como pasta-dágua, especialmente se seu cachorro tem alguma manchinha branca na pele no focinho, orelha ou cabeça. Cachorros de pelo preto ou que possuem uma pelagem muito densa (Pastores, Huskies, Samoiedas) sofrem muito com o calor e podem ter insolação. Certifique-se de que eles têm bastante sombra e água fresca. Molhar o pelo regularmente pode ajudar a manter a temperatura do corpo deles mais baixa, mas não use água gelada, pios o choque térmico também faz mal.

Cuidado para não deixar que água entre nos ouvidos do cachorro.

Não leve o seu cachorro nos horários em que a praia está muito cheia. Respeite os outros banhistas. Pense que nem todos gostam de ter um cachorro por perto.

Se você está pensando em férias na fazenda, converse antes com o seu veterinários sobre que tipo de cuidados especiais você deve ter com o seu cachorro. Pergunte sobre repelentes de carrapatos e pulgas e quais são os sintomas das doenças mais comuns caso o seu cachorro tenha contato com algum animal doente ou com parasitas.

Para quem gosta de longas caminhadas, lembre-se que o cachorro também precisa estar bem preparado fisicamente antes de iniciar um programa rígido de exercícios. Acostume seu cão a caminhar aos poucos, tal como nós, um cachorro que passa o dia todo deitado no sofá vai ter dificuldades de percorrer grandes distâncias de uma só vez se não for acostumado. Lembre-se que filhotes se cansam mais rápido e que precisam de muito descanso, já gastam muita energia para poder crescer. Cachorros velhinhos ou obesos também precisam ir mais devagar. Não force o seu cachorro a andar se ele apresenta sinais de exaustão.

Verifique se o chão não está muito quente (olha o asfalto aí gente), o que pode causar queimaduras nas patas dos nossos amigos. Depois do passeio olhe as patas do seu amigo. Cães que normalmente andam pouco e moram em apartamento vão ficar com as patas machucadas se forem obrigados a andar por muito tempo.

Não dê muita comida logo antes de iniciar uma caminhada. Dê a comida várias horas antes do passeio ou dê pouca comida e vá oferecendo pequenos "lanchinhos" durante o trajeto. Deixe o cachorro descansar de vez em quando.

Cuidado especial nos dias quentes e úmidos. Cachorros podem desidratar e ter insolação, mesmo dentro d’água. Cães não suam pelos poros como nós, e seu sistema de resfriamento corporal é limitado se comparado com o nosso. Cachorros só possuem glândulas sudoríparas na língua e nos pés, por isso eles ficam com a língua penduradas para fora quando estão cansados ou com calor.

Faça diversas paradas à sombra e dê água para o seu cachorro freqüentemente.

ABSOLUTAMENTE NÃO deixe cachorro no carro fechado nem por poucos minutos, nem que as janelas estejam um pouco abertas. A temperatura dentro de um automóvel pode chegar a 60 graus centígrados em poucos minutos num dia quente.

Mantenha seu cachorro na coleira o tempo todo e providencie uma plaquinha de identificação com o nome do cão e o seu endereço e telefone, inclusive código de área. Até o cachorro mais obediente do mundo pode se sentir tentado a explorar uma vizinhança nova e acabar se perdendo.

Sejam quais forem os seus planos de férias ou passeios com o seu cachorro, lembre-se que você é responsável pelos atos do seu animal. Muitos lugares como parques e praias não permitem a entrada de cães, pois as pessoas alegam que os donos não conseguem manter seus cães sob controle. Não contribua para que estas pessoas tenham razão. Mantenha seu cão na coleira, não deixe que ele pule em pessoas desconhecidas, nem permita que ele brigue ou persiga outros cães. Leve sempre com você sacos plásticos ou jornal para recolher o cocô do chão.

Com estes simples cuidados as suas férias e as do seu peludão vão ser bem mais agradáveis.

CORREÇÃO:

Nesta edição do Lord Cão News acabamos comentando um erro:

Segundo mensagem enviada pela a Dra. Roseli Pizzigatti Klein - Médica Veterinária Docente de Clínica Médica de Pequenos Animais da Universidade Federal do Piauí, ao contrário do que informamos de que os cães possuem glândulas sudoríparas na língua e nos pés, … "Os cães possuem as verdadeiras glândulas sudoríparas exócrinas (realmente essas contribuem para a manutenção da homeotermia) nos coxins e também no muflo nasal. Espalhadas na pele eles possuem as glândulas sudoríparas apócrinas que estão relacionadas com o folículo piloso (pêlo) que também eliminam secreção sudoral, entretanto não tanto quanto as glândulas exócrinas. Por isso os cães não possuem suor pela pele, não necessitando de banhos freqüentes também. A língua pendente, significa que ele aumentou a freqüência respiratória (taquipnéia ou polipnéia fisiológica ou térmica) para manter também a homeotermia (temperatura corporal fisiológica para a espécie). Isso se chama regulação térmica."

Para que vocês possam identificar mais facilmente, os coxins são as "almofadinhas" das patas do cachorro, e o muflo nasal é o "narizinho" dos peludos.

Muito obrigada a Dra, Roseli Pizzigatti Klein pela colaboração.

 

Todos os direitos reservados. Este artigo está registrado na Biblioteca Nacional e tem seus direitos autorais protegidos por lei. É permitida a sua reprodução desde que sejam colocados o nome da autora e a homepage origem.

voltar


© LordCão 2009