Quero receber
o LordCão News

 

LordCão News - Artigos interessantes

voltar

Raças agressivas: quais são?

Por Sheila Niski


Existem certas raças que criaram má fama devido a acidentes. Na realidade, qualquer raça pode tornar-se agressiva. Essa característica, na maioria das vezes indesejada, depende de fatores genéticos e de criação. Infelizmente, hoje cães são criados como mercadoria, sem muitos critérios. Claro que existem bons criadores, os quais cuidam do temperamento e principais características físicas da raça (padrão), e a esses devemos todo nosso respeito, pois não é um trabalho fácil. É necessário tempo, dedicação e muito estudo.

Com base nos casos em que somos chamados para resolver problemas de agressividade em cães e também em estudos e estatísticas feitos nos EUA, o maior número de casos de mordidas são, diferente do que pensamos, não de Rottweilers, Pit Bulls e raças afins. Os grandes mordedores são o Cocker Spaniel e o Poodle . Sim, eles mesmos. Um com aquela carinha de bebê chorão, doce e que qualquer um quer pegar no colo quando vê. O outro com seu jeitinho de eterno filhote e de brinquedo de pelúcia. A diferença é que a mordida deles não costuma causar tanto estrago quanto a de um cão maior, por isso não existem tantas reclamações e notícias em jornal das suas mordidas.

É claro que as raças mais conhecidas pela sua característica de guarda também possuem um potencial maior de possessividade, territorialidade, e dominância. Tais características combinadas com o tamanho e a força do cão podem se tornar um grande problema e risco para a sociedade se estes mesmos cães não forem tratados adequadamente. Caso você opte por um Pit Bull, um Rottweiler, um Fila Brasileiro , um Pastor Alemão ou um Mastim Napolitano entre outros, faça o possível para sociabilizar o cão desde filhote, peça para seus amigos ou parentes trazerem seus animais para conhecer o seu cão. Claro que você deve ter certeza que esses cães que visitam o seu estejam totalmente vacinados e isentos de qualquer doença.

Estimule o convívio do seu cão com o maior número possível de pessoas e cães diferentes. Sempre é bom agradar o cachorro quando ele estiver bem comportado na presença de outros. Na verdade essas regras servem para qualquer raça, mas quando falamos sobre essas raças "perseguidas", esses cuidados sempre devem ser lembrados e seguidos.

Quando uma pessoa compra um cão, não espera ter adquirido um monstro, mas sim um companheiro, amigo, uma vida nova para se cuidar. Mesmo quem compra um cão de guarda não acredita que um dia sua família poderá correr algum risco com tal aquisição. O problema é que às vezes nós mesmo estimulamos tal comportamento. Brincadeiras inocentes como cabo-de-guerra ( com cordinha ou ossinhos ) parecem simples brincadeiras para nós, mas para um cachorro significa uma disputa real. Nós costumamos desestimular esse tipo de brincadeira entre nossos clientes, mas sempre tem alguns que insistem nesse jogo. Nesse caso a gente pede para as pessoas nunca deixarem o cão ganhar a disputa.

Hoje em dia, com a medicina alternativa tão avançada, encontramos vários casos onde florais de bach trabalhando junto com treinamento de obediência ajudam bastante nos casos de agressividade.

Quando lidamos com raças consideradas agressivas, o cuidado deve ser dobrado. Qualquer acidente, por menor que seja, já é motivo para um alarde. Na verdade a preocupação maior é a sua relação com o cão, esse é o ponto. Quando você consegue controlar seu cão baseado num relacionamento de confiança mútua, carinho e amor, você está preparado para lidar com ele em qualquer circunstância. Seja o melhor amigo do seu peludo, a recompensa é gratificante.

Infelizmente, mesmo com muitas opções na área veterinária e comportamental, ainda existem casos em que não dá para fazer com que o cão volte a ter um comportamento adequado, ou seja, ele continua sendo uma ameaça para a família, vizinhos e conhecidos. Nesses casos, se após procurar por todos os tipos de tratamento o cachorro continuar agressivo, inclusive colocando em risco a vida de outras pessoas, não há outra opção senão, como dizem os americanos, colocar o cachorro para dormir. É triste, muito triste mesmo, mas o que adianta você ter um cachorro cuja qualidade de vida está comprometida ? Um cachorro que nunca vai poder sair para brincar, passear e viver como os outros cães de vida normal ? Um cachorro que vai viver trancado e cujos donos vão viver num stress constante pois sabem que com o cachorro lá qualquer pessoa está correndo risco ? Realmente não vale a pena uma vida assim. Não é justo nem para ele, nem para os donos.

DICAS PARA O PROPRIETÁRIO DE UM CÃO AGRESSIVO
- A primeira coisa a se considerar em caso de agressividade é a castração. Converse com o veterinário sobre essa hipótese, mas lembre-se que não existe a garantia real da solução do problema. O que podemos adiantar é que quanto mais cedo o animal for castrado, menor a probabilidade dele adquirir vícios indesejáveis, tal como a agressividade. Para maiores detalhes sobre os efeitos comportamentais da castração visite a edição #11 do Lord Cão News na página http://www.lordcao.com/lordnews_11.shtml

- Ao perceber os primeiros sinais de agressividade no seu cão, procure a ajuda de um profissional. Nunca deixe chegar ao ponto de você ter medo do seu cão. Caso isso aconteça converse com profissionais de sua confiança e considere com carinho a possibilidade de doar seu animal para alguém que consiga controlar a situação.

- Se o seu cão é adulto ou se você se sente ameaçado por ele, evite situações de confronto com o animal, como por exemplo obrigá-lo a algo que ele não goste ou não queira fazer naquele momento, desafiá-lo com o olhar, tirá-lo do lugar onde ele já está acomodado, mexer na comida dele enquanto ele estiver comendo e coisas assim. Veja bem, todas essas coisas você pode e deve fazer com seu cachorro quando ele for do tipo que tem um temperamento adequado e for controlado, você só vai estar fortalecendo a sua liderança, mas isso é assunto para outro Lord Cão News ;-)

- Normalmente a agressividade começa de uma maneira leve, então observe e desestimule qualquer tipo de agressividade logo de início, aos primeiros sinais, ou seja, pêlo arrepiado, mostrar os dentes ou qualquer mudança na sua postura após a aproximação de um outro animal ou pessoa.

- Lembre-se, o animal nem sempre aceita a linguagem da violência. Ele não compreende um tapa, como uma correção natural para o cão. Se o seu animal já for agressivo, pense no clichê "violência gera violência" antes de pensar em tratá-lo com a força bruta. Além do mais, o animal é muito resistente à dor, então se você espera assustá-lo com um tapa...hummm, é melhor mudar de idéia.


Todos os direitos reservados. Este artigo está registrado na Biblioteca Nacional e tem seus direitos autorais protegidos por lei. É permitida a sua reprodução desde que sejam colocados o nome da autora e a homepage origem.

voltar


© LordCão 2009