Quero receber
o LordCão News

 

LordCão News - Artigos interessantes

voltar

Hospedagem de Cães

Por Daniela Prado


Com a vida atribulada de hoje, nos vemos cada vez mais obrigados a usar serviços que nossas avós nem imaginariam. Creches aceitam bebês cada vez mais novos, colégios estendem seus horários, vans levam as crianças e adolecentes a shows e festas e de volta para casa de madrugada e daí por diante. O mesmo se aplica a nossos filhotes peludos. Poucas pessoas têm tempo para dar banhos em casa, recorrendo às pets shop, algumas até com serviço "delivery" , usamos rações industrializadas por falta de tempo para cozinhar, e quando viajamos, recorremos às hospedagem para que cuidem de nossos amiguinhos e amigões. É sobre esta última que vamos falar.

Observamos durante conversas com nossos clientes, que poucas pessoas sabem qual a realidade de uma hospedagem, o que podem oferecer, o que não é possível, o que se deve esperar ou não. E claro que como todo hotel existirão grandes diferenças de instalações, serviços, comida, número de hospedes, espaço disponível e atividades oferecidas, desde às mais simples até verdadeiras "colônias de férias" para cães.

Então, o que fazer quando a viagem está marcada e temos que escolher onde deixar nosso cachorro?

A primeira coisa na minha opinião é ligar para os candidatos e conversar com os responsáveis. Nesta conversa é importante "sentir" se as pessoas estão disponíveis, seu nível de conhecimento sobre cães, se dão informações claras, se acompanham de perto o dia a dia do canil, se conhecem bem seus hóspedes, enfim, com que nível de hotel estamos lidando, afinal, como eu já disse, temos de tudo entre 0 e 5 estrelas. Nesta conversa também é bom pedir referências, pelo menos duas, e ligar para essas pessoas para saber o que acham do serviço.

O segundo passo, tendo selecionado as opções que pareceram melhores é ir visitar o local. Não se inpressione com distâncias, às vezes locais mais afastados são melhores, e para o seu cão não adianta nada estar perto de casa e mal acomodado. É aqui que a coisa complica, já que muitos de nós temos vidas corridas e atarefadas, e é difícil tirar um dia para conhecer canis, muitas vezes distantes de nossa casa. Sinto muito, mas é um mal necessário, pois só assim poderemos avaliar as reais condições do local e ver como os cães hospedados interagem com os responsáveis pelo lugar. Eu não deixaria meu cachorro num hotel onde os hóspedes não fazem festa para os tratadores e responsáveis .... E isso não dá para saber por telefone. O ideal nessa hora muitas vezes é não levar o cachorro, já que se a viagem for mais longa (principalmente se forem visitados muitos lugares) ele pode enjoar, ou se cansar e começar a dar trabalho, tirando nossa atenção do que realmente interessa.

Chegando ao local, além do atendimento, é importante checar: a limpeza do local como um todo, das pistas onde os cães se exercitam, dos boxes onde dormem e do lugar onde é guardada a ração, além da limpeza dos cães em si. Também vale uma atenção especial à segurança das grades/telas, altura das paredes e quaisquer outras possibilidades de fuga. É uma boa hora para checar o dia a dia dos cães, se estão fazendo alguma atividade ou estão todos presos, e quais as atividades oferecidas, além de ver a já mencionada interação dos hóspedes com as pessoas. Veja também qual o esquema de alimentação, quantas vezes por dia é oferecida a comida e que tipo de comida. Ração seca de primeira linha é sempre a melhor opção, já que terá um bom nível energético e não estraga. Pergunte a marca e cheque com o veterinário do seu cão se ele concorda com a mudança. Algumas hospedagens pedem que o dono mande a ração de seu cão, neste caso converse com os reponsáveis sobre a ração que você usa normalmente e se ela se adaptará ao ritmo do lugar, pois muitas vezes a ração que mantém seu cão bem num ritmo de vida sedentário não "aguentará" um ritmo com mais exercícios e aí o cão vai emagracer.

Um detalhe importante, não deixe para fazer isso na véspera da viagem, já que se você não gostar de nenhum dos lugares visitados não terá tempo para procurar outros. Lembre-se que seu cachorro não poderá opinar, mas é ele quem vai ficar onde você escolher.

Feito isso, escolha um local que atenda às necessidades de seu cão (existem locais ótimos para um Yorkshire, mas onde seria crueldade deixar um Labrador) e que lhe inspire confiança. Lembre-se, essas serão as pessoas que lhe darão informações sobre o seu cão enquanto você estiver fora e que cuidarão dele. Confie nelas, pois se algo acontecer você só terá a palavra delas sobre o que foi que houve. Uma boa dica para quem nunca deixou seu cachorro numa hospedagem é experimentar deixá-lo num fim de semana que você vai estar em casa. Assim, você pode ligar para saber como seu bichinho está indo, e em caso de "pânico" (mais do dono do que do cão hehehe), você pode ir buscá-lo a qualquer momento. Se o seu bichão conseguir sobreviver a um fim de semana inteirinho ele, com certeza, irá se adaptar muito bem a um período maior.

Aliás, aqui vem outro ponto. Todos nós amamos nossos cães, mas na hora de deixá-lo, tente ser o mais honesto e objetivo possível sobre ele. Todos têm defeitos, e ele também. Mencione seus hábitos e manias, o que gosta e o que não gosta, se morde gente ou cães em detenminadas situações. O quanto mais souberem sobre ele, melhor poderão tratá-lo. Não deixe que um tratador seja mordido para que o pessoal da hospedagem descubra que seu cão não gosta que mexam na cama dele ... nem que ele fique todo empolado porque ninguém sabia que ele tinha alergia a grama ou tenha uma diarréia porque não podia ganhar um biscoito. Diga tudo o que souber sobre seu cão, o melhor e o pior.

Mais importante do que levar a caminha ou o brinquedo preferido, é levar todos os remédios que o seu bichinho está tomando, junto com um relatório detalhado sobre os motivos da medicação, horários, dosagens e o telefone do seu veterinário em caso de dúvidas. Ah! Se for possível deixe também o telefone de onde você poderá ser encontrado, ou de alguém que possa se responsabilizar pelo seu peludo enquanto você não está (um parente ou amigo que conheça bem o seu bichão). Uma plaquinha com identificação no pescoço do seu peludo é fundamental para a sua tranqüilidade e para segurança dele, no caso de uma fuga inesperada.

Não esqueça também de saber claramente o que está incluído na diária do seu companheiro e quais os serviços que serão cobrados a parte. Algumas hospedagens cobram "por fora" por atividades especiais como natação, treinamento, exercícios de musculação ou agility. Além disso algumas hospedagens cobram por vermífugos, remédios contra parasitas (pulgas e carrapatos), visitas a veterinários, banhos, transporte, alimentação, etc. É bom ter tudo bem claro para não receber uma conta surpresa no final do período. Combine também quais as despesas que podem ser feitas sem o seu prévio conhecimento e quais não serão autorizadas. Em caso de emergência se o seu cachorrinho deverá ser atendido pelo seu veterinário, ou se pelo veterinário responsável pela hospedagem, e quem arca com as despesas.

Escolhido o lugar e esclarecidas as regras e informações sobre o cão, vamos às perguntas mais frequentes dos donos:

- Ele vai ficar triste?
Depende. Se você escolher um local muito fechado onde ele não tenha muito o que fazer durante o dia, provavelmente ele sentirá mais, mas se você optar por um esquema mais descontraído, ele dificilmente ficará triste, principalmente se estiver num lugar espaço que ofereça bastante atividade. Natação, pegar bolinhas e correr com outros cães são atividades que desestressam o cachorro, cansam e abrem o apetite. Pense em você depois de um belo dia na praia ... Cachorro cansado geralmente é cachorro feliz. É claro que cães acostumados sozinhos ou cães que têm medo de estranhos e/ou de outros cães sentem mais, já que por mais que passeiem sozinhos e/ou fiquem separados estarão escutando os outros cães e se amedrontarão. Estes geralmente não vão comer bem nos primeiros 2 ou 3 dias e ficarão meio assutados e/ou "tristinhos". Mas geralmente depois deste período acabam vendo que nada de ruim vai acontecer, se apegam à pessoas e fica tudo bem. Cães mais "atirados" geralmente adoram ter espaço, exercício e companhia canina (se for possível é claro) e ficam felissíssimos. Estatisticamente eu diria que estes são a maioria. Uma outra coisa que pode fazer bastante diferença para o seu amigo peludo é a quantidade de atenção individual que ele irá receber dos tratadores. Carinhos, escovadas e um pouquinho de tempo dedicado somente a ele podem fazer com que o cachorrão (e também o cachorrinho) não se sinta "abandonado".

- O cachorro emagrece?
Geralmente. E aqui temos duas situações mais comuns:
1. O cão emagrece por não se alimentar bem. Isso geralmente acontece quando ele fica em lugares com pouco espaço, em canis pequenos, ou gaiolas, com pouca atividade física, ou quando ele não está acostumado a comer a ração e prefere "variar a comida de panela". Neste último caso, por mais que a hospedagem seja preocupada com a individualidade de seus hóspedes, pode levar um bom tempo antes deles acertarem que tipo de comida o seu cachorrinho quer comer.

2. O cão emagrece porque faz mais exercícios do que estava acostumado. Acontece muito em lugares que oferecem muita atividade, principalmente natação. Alguns cães, que comem muito bem mantém o peso e ficam até mais fortes, mas a maioria emagrece um pouco pois acabam comendo "pior" do que em casa e fazendo mais exercícios. Particularmente acho que não se deve restrinjir o exercício por conta disso já que peso eles recuperam em casa num instante. Este é aliás um ponto bastante delicado. Muitos donos não acreditam que o cão emagreceu por isso, acha que ele não comeu. Um lugar sério vai te dizer se ele comeu ou não, e se você resolveu confiar nesse lugar ... porque não acreditar? São muito poucos os cães que realmente se recusam a comer por vários dias, é contra os instintos caninos ficar com fome com comida à disposição, mas estes podem realmente perder muito peso por comer apenas o excencial.

- Ele vai ficar solto o tempo todo?
Não. É impossível um cão ficar solto o tempo todo em uma hospedagem (a não ser que ele seja o único hóspede). E nem é preciso isso. Se o lugar tem instalações confortáveis, e ele sai várias vezes por dia para se exercitar bastante (exemplo: passeio solto de manhã, natação, agility, ou musculação durante o dia, passeio de tarde e correria no gramado no fim do dia) ele ficará exausto. Se ficasse solto iria com certeza deitar num canto e descansar, então, é melhor que ele descanse num lugar seguro (no box ou canil), pois além de ter água fresca e abrigo do sol e da chuva, o cachorrinho cansado libera espaço e a atenção do tratador para os outros hóspedes.

- Ele ficará sozinho?
Cada hotel tem uma regra. Em alguns ficam sozinhos, em outros aos pares e em outros aos grupos. Eu particularmente acho os pares a melhor solução. Muitos donos acham que sozinho seu cão ficará melhor, mas no dia a dia vemos que em dupla eles ficam mais alegres e as chances de brigas são menores do que em grupos. Exceção feita para cães que têm muito medo de outros cães, ou são agressivos. Esses têm que ficar sozinhos mesmo, se for o caso do seu pergunte sobre essa possibilidade.

- Ele pode se machucar?
Pode. Quantos de nós não abrimos o queixo na escola? A maioria de nossos cães mora em apartamento ou casas com quintais pequenos. Não conhecem uma série de coisas e suas patas são mais "finas" do que as de cães de casa/sítio. Quando se encontram num local diferente, às vezes com árvores, jardins e muito espaço, eles metem a cara em arbustos e se arranham, tropeçam em pedras quando correm e ralam as patas, resolvem cavar e gastam as unhas demais, na hora da brincadeira um segura o rabo do outro e acaba arranhando, se ele achar uma formiga ou abelha pode ser até picado, enfim, se o hotel que ele estiver tiver espaço, área verde para exercícios e ele sair com outros coleguinha peludos, pode se machucar um pouco. Se você optar por um lugar em que ele fique muito preso ou em gaiola, ele poderá se machucar tentando sair, pois nenhum cão vai aguentar dia e noite num espaço pequeno sem protestar. O importante é saber se os responsáveis tomarão as medidas necessárias e levar na esportiva. Converse com os proprietários para saber se eles possuem um veterinário no local, ou pelo menos por perto para atendimento rápido. E não se esqueça de deixar o seu telefone e do seu veterinário se algum acidente mais grave acontecer.

- Ele pode pegar doenças?
Todo canil sério vai pedir caderneta de vacinação e pedir para que seja passado um "protetor" contra pulgas e carrapatos no cão. Não deixe de seguir esta recomendação, já que se todos os cães estiverem protegidos menos o seu, qualquer pulga/carrapato existente no local vai acabar nele. Uma dica é vacinar o cão contra "tosse dos canis", pois muitos veterinários ainda não fazem isso na vacinação de rotina, e basta um hóspede estar encubado para contaminar todo mundo antes que o pessoal do canil possa fazer alguma coisa. Fora isso, alguns cães mais sensíveis podem ter dor de barriga e/ou vômitos nos primeiros dias no hotel ou na volta para casa por ansiedade, estresse da viajem ou pela mudança de ração quando existe. Muitos donos entram em pânico quando seus cães voltam e apresentam alguns desdes sintomas, mas na maioria das vezes tudo passa com uma boa noite de sono e a volta à rotina conhecida. Se isso acontecer com o seu amigão e ele não apresentar sinais de melhoras, leve-o imediatamente para o veterinário e ligue para o canil para saber se aconteceu alguma coisa fora do comum. Fora isso, podem também acontecer alguns casos de fungos (mais raros) e alergias (mais comuns).

Bem, acho que é isso. Espero que essas dicas possam ser úteis para que as férias de seus peludos sejam tão agradáveis e cheias de novidades quanto as suas.


Todos os direitos reservados. Este artigo está registrado na Biblioteca Nacional e tem seus direitos autorais protegidos por lei. É permitida a sua reprodução desde que sejam colocados o nome da autora e a homepage origem.

voltar


© LordCão 2009